Publicado em: 03/10/2016 17h52 - Atualizado em 04/10/2016 08h52

Nilson Gaspar é eleito prefeito de Indaiatuba

Candidato do PMDB somou 53.344 votos, contra os 51.358 votos de Bruno Ganem, do PV

Fernanda Bugallo
O candidato Nilson Gaspar (PMDB) foi eleito prefeito da cidade com 48,68% dos votos (53.344 votos).
"Foi uma eleição difícil. No começo eu tinha praticamente 5% na pesquisa contra um candidato que estava muito bem posicionado", afirma Gaspar.
Muito contente com o resultado, durante a coletiva de imprensa Gaspar afirmou que Indaiatuba precisa de ajustes e não de mudanças e que em nenhum momento prometeu algo em sua campanha que não pudesse cumprir no mandato. "Indaiatuba tem que avançar mais do que já avançou. Vou ser o sucessor do maior prefeito de Indaiatuba que é o Reinaldo Nogueira".
O candidato escolhido pelo prefeito licenciado Reinaldo Nogueira para governar Indaiatuba conta que caminhou pela cidade inteira e acredita que a democracia foi soberana. Para ele, a população entendeu que o melhor para Indaiatuba era a continuidade do governo.
"Continuar fazendo o bom trabalho que o Reinaldo fez ao longo de todos esses anos é uma responsabilidade muito grande. Vou ser o sucessor do maior prefeito de Indaiatuba que é o Reinaldo. Meu amigo e que eu conheço há muitos e muitos anos, mas que em momento algum nós misturamos amizade com a administração pública e com a preocupação pelo nosso município", disse durante entrevista coletiva para a imprensa.
Sobre a campanha, ele acredita que, na medida em que as pessoas foram lhe conhecendo, a situação melhorou. "A população foi vendo a pessoa simples que eu sou, uma pessoa que o poder não sobe na cabeça, e, se subisse, dos cargos que eu ocupei, era para eu ser um cara chato, metido, arrogante. No entanto, foram vendo que não era nada disso, e que realmente eu serei uma pessoa tranquila e uma pessoa que trabalha direitinho pela nossa cidade", acrescentou Gaspar. "Quando eu estava atrás nas pesquisas, eu era muito bom, depois de passar na frente, eu já não era mais. Ficou provado que a população foi soberana, e a população entendeu que o melhor para Indaiatuba é continuidade do governo. O melhor para Indaiatuba é o nosso grupo".
Comemoração
O prefeito licenciado Reinaldo Nogueira (PMDB) também se posicionou e afirmou que a comemoração da vitória de Indaiatuba é porque o Gaspar é a pessoa mais preparada para estar dando sequência a um trabalho de desenvolvimento da cidade.
"Indaiatuba, é uma cidade diferenciada do país, é uma cidade que nós conseguimos fazer um planejamento e conseguimos trazer desenvolvimento com qualidade de vida", avaliou Nogueira. "Eu sei que a população clama um pouco por mudança política em nosso país, sei que a população, talvez, tomou algumas decisões por alguns fatos que aconteceram até na minha vida, mas isso aí é algo que a justiça vai avaliar e eu confio nela", prosseguiu o prefeito licenciado.
Reinaldo também aproveitou para dar os parabéns aos adversários. "Parabenizo a todos vocês que ficaram nessa pendência de mudança, a mudança é o Gaspar. Se fosse reeleição, não seria mudança. Mas o Gaspar é, e é uma mudança para dar sequência, onde ele vai ter o apoio do Rogério Nogueira como deputado estadual e vai ter o meu apoio para o que precisar", falou e avisou que quer ser conselheiro do Gaspar. "Nós sabemos que o ano que vem será difícil, mas, dentro do ano difícil, ainda nós vamos nos destacar, sei que meus projetos não vão morrer".
O deputado estadual Rogério Nogueira relembrou momentos complicados pelos quais a família passou neste ano por conta da prisão de Reinaldo. "Nas horas mais difíceis, Reinaldo nunca parou de pensar em Indaiatuba, chegava nem a falar da família, nas cartas que eu pegava, ele falava da cidade, queria saber como estava o Gaspar, o Túlio, a equipe e como estava a cidade. Então, você vê a preocupação que o Reinaldo tinha com o município".
Ele ainda aproveitou para fazer algumas comparações. "Quando se muda uma gestão inteira, tudo para, tem que começar do zero, então eu fico feliz, pois temos mais de 30 obras em andamento, temos convênio assinado com o governo do estado, nós temos uma parceria com o governo federal, e muita coisa para desenvolver", comemorou. "Nós temos 645 municípios, mais de 400 municípios estão quebrados, sem dinheiro, não estão pagando funcionário público. E a nossa cidade é diferenciada. Gaspar vai pegar com dinheiro em caixa, com obras, com hospital sendo feito e um fundo municipal com R$ 33 milhões que foi conquistado pelo nosso governo".
Vice
Eleito junto com Gaspar, o vice-prefeito Túlio Tomas agradeceu a todos que confiaram no trabalho do grupo, carinho e recepção que receberam durante os 45 dias de campanha. "A gente vai continuar esse trabalho que o Reinaldo começou há 20 anos, que o Rogério vem nos apoiando no governo do Estado, para que a gente tenha orgulho de ser indaiatubano. Quem está aqui, não quer ir embora. E quem vem pra cá, não quer sair", comentou. "Eu vou estar junto com o Gaspar avaliando as questões de saúde da cidade, vou estar ao lado dele trabalhando para que Indaiatuba possa avançar e fique cada vez melhor".
Gaspar e seu vice, Tulio Tomass, comemoraram a vitória no domingo com membros da coligação Reinaldo Nogueira Gaspar e seu vice, Tulio Tomass, comemoraram a vitória no domingo com membros da coligação Reinaldo Nogueira (Crédito: Fotos: Werner Münchow)
Gaspar e Túlio receberam apoio do prefeito licenciado Reinaldo e o deputado estadual Rogério Nogueira após o resultado Gaspar e Túlio receberam apoio do prefeito licenciado Reinaldo e o deputado estadual Rogério Nogueira após o resultado (Crédito: Werner Münchow)

Disputa para a Prefeitura foi acirrada

Nilson Alcides Gaspar foi eleito com 48,68% dos votos (53.344 votos). Logo em seguida ficou o candidato Bruno Ganem (PV) com 47,87% da votação, que corresponde a 51.358 votos. Esta foi a eleição mais disputada na história da cidade. Os candidatos foram seguidos por Gervasio Aparecido da Silva (PTB), com 2,97% (3.249 votos); Rinaldo Wolf (PT), com 1,13% (1.241 votos); e Emanoel Messias, com 0,35% (381 votos). Ao todo foram 8.604 nulos (6,85%) e brancos 7.663 (6,1%). No caso de abstenção ficou em 29.104 (18,82%).

Veja Também:

Comentar