Publicado em: 04/08/2017 14h10 - Atualizado em 07/08/2017 09h56

Vereadores da oposição falam sobre ações no 1º semestre

Ao todo, foram 251 indicações, 43 projetos de lei e 34 requerimentos

Luciano Rodrigues
Werner Münchow Bloco oposicionista relembrou questões pertinentes de interesse dos munícipes
O bloco oposicionista da Câmara Municipal de Indaiatuba, que é formado pelos vereadores Alexandre Peres (SD), Ricardo França (PRP) e Arthur Spíndola (PV), convocou uma coletiva de imprensa na quarta-feira para falar sobre o balanço do primeiro semestre de trabalho. Juntos, os três fizeram 251 indicações, 34 requerimentos, 22 monções, 43 projetos de lei e 1.162 ofícios.
"São números significativos, e isso mostra que nós estamos trabalhando. As sessões acontecem apenas uma vez na semana, mas a produção é incessante, para podermos apresentar propostas para a cidade. O trabalho é 24 horas por dia; e agora com celular e internet, o tempo todo as pessoas entram em contato conosco, mandando perguntas, demandas, e a gente precisa colocar isso para girar", conta Peres, porta voz do bloco.
Os vereadores levantaram várias questões que vem trabalhando, uma delas foi sobre o aditivo da nova rodoviária, que acabou tendo o valor final da obra reduzido devido aos questionamentos feitos pelobloco. Levantaram também a questão do acesso ao novo terminal por meio de ofício enviado para a Artesp.
"Outra questão que nós estamos sempre atentos é sobre o transporte público. Temos o contrato que está em vigência, o qual lemos para saber quais são as obrigações da prefeitura e da empresa. Percebemos que, ao longo do ano, por duas ou três vezes, houve adiamentos. Pedimos providências no plenário algumas vezes, mesmo porque esses ônibus que estão por aí chovem dentro, perdem freio, rodas, e chegou até a pegar fogo. Aí veio a promessa de melhorar. E agora vem a notícia de que a ideia é rescindir o contrato", argumentou o líder.
Outro ponto que o vereador também citou foi o das multas emitidas para a empresa de transporte público. De acordo com os vereadores, foi mandado um requerimento para a prefeitura para saber informações sobre os pagamentos desses débitos e os comprovantes das mesmas. "Então, esta é uma das questões que a oposição está trabalhando, que é um dos principais problemas de Indaiatuba", destaca.
O atraso em algumas obras do município também foi destaque na coletiva. "A cidade possui algumas obras paradas e as que estão em andamento também nós estamos em cima, já que obra parada eleva custos. Precisamos de um parecer sobre isso: se houve aumento dos prazos, de valores etc.", argumentam. O trio alertou ainda que está atento a esta e outras questões do município.
Porta-voz
Peres reforçou que, ao formar o bloco da oposição, ficou decido que a cada seis meses haveria um revezamento na liderança. Porém, foi de comum acordo o vereador do SD continuaria liderando a bancada até o final deste ano.
"Somos um bloco unido, estamos sempre discutindo as pautas das sessões para fechar um parecer e clarear alguns pensamentos para guardar o nosso território no plenário. É um trabalho de somatória entre os vereadores, com foco nas melhorias para Indaiatuba", destacou Peres.
Eles concordam também que o papel da oposição é propositivo. "Verificamos aquilo que entendemos que é importante para a cidade e apoiamos, mas quando as coisas não são bem explicadas ou a gente percebe que não tem muita vantagem para a população, nós votamos contra. Ou seja, estamos aqui para ajudar Indaiatuba ser uma cidade melhor e não para ficarmos fazendo alarde ou sensacionalismo", ponderou.
Os trabalhos individuais de cada edil também foi citado. Peres mencionou algumas indicações como a criação do segundo Conselho Tutelar e o reajuste do Cartão Cesta do funcionalismo público de Indaiatuba, alem da implantação do Samu, a recuperação de nascente, a implantação da UTI pediátrica, entre outros.
França, por sua vez, ressaltou o trabalho que vem realizando nos semáforos, buscando o diálogo com a população. "Esta ação está bem consolidada no sentido de que todos já conseguem ver os resultados do atendimento à população. Conseguimos saber os questionamentos mais pontuais, e nos apoiamos basicamente em três pilares fundamentais, que são: legislar, fiscalizar e dar ouvido aos munícipes. Vale lembrar também do trabalho feito nas redes sociais", continuou. Ele falou também sobre o projeto de lei que pede a gratuidade da Zona Azul para idosos.
Por fim, Espíndola comentou da iniciativa da Lei Nº 6.692, que proíbe a soltura de fogos de artifícios e artefatos pirotécnicos acima de 65 decibéis em Indaiatuba. "É uma lei educativa e que causou bastante repercussão na cidade. Já sabemos que grandes eventos da cidade estão dentro do alvará de funcionamento para atuarem de acordo com a nossa lei. Se for solto este tipo de fogos de artifício, o responsável será multado", salientou.
O vereador falou também da lei sancionada que propõe a divulgação dos animais disponíveis para doação, do Centro de Controle de Zoonoses, no site da prefeitura de Indaiatuba. "Esses animais merecem um lar e a proposta tem o objetivo de aproxima-los dos futuros donos", concluiu.

Veja Também:

Comentar


Mais lidas
Filmes em cartaz
  • PLANETA DOS MACACOS: A GUERRA
  • O FILME DA MINHA VIDA
  • SOUNDTRACK
  • DUNKIRK
  • EM RITMO DE FUGA
  • TRANSFORMERS: O ÚLTIMO CAVALEIRO
  • CINECLUBE - FRANTZ
  • CARROS 3
  • D.P.A - DETETIVES DO PRÉDIO AZUL
  • HOMEM-ARANHA: DE VOLTA AO LAR
  • MEU MALVADO FAVORITO 3