Publicado em: 12/04/2018 10h36 - Atualizado em 17/04/2018 15h57

Zona Azul Eletrônica é anunciada para junho

Mudanças incluem aplicativo e ampliação de vagas para maior fluxo de veículos

Adriana Brumer Lourencini
Werner Münchow As vagas em vias públicas serão controladas por meio do aplicativo Digipare
A partir de junho, será implantada em Indaiatuba a Zona Azul Eletrônica. A modernização do estacionamento rotativo na região central foi apresentada na quarta-feira (11). A mudança não irá afetar o preço nem o horário de funcionamento, que continuam os mesmos.
A utilização do estacionamento nas vias públicas será feita por meio do aplicativo Digipare. As mudanças incluem ainda a expansão das vagas tanto na região central quanto na Avenida Francisco de Paula Leite.
O principal objetivo da modernização da Zona Azul é viabilizar fluxo maior de veículos nas vagas de estacionamento rotativo. "Tem gente que deixa o carro estacionado ali o dia todo, o que prejudica bastante o comércio", salientou o prefeito Nilson Gaspar (MDB). "Vamos também intensificar a fiscalização para liberar mais vagas e todos possam estacionar."
De acordo com o diretor da Tecpark, Aloisio Roberto Nascimento, as mudanças eram necessárias, já que a concessionária opera há 15 anos da mesma forma na cidade. "A cidade cresceu e o número de veículos aumentou, por isso é preciso melhorar a oferta de vagas e reforçar a rotatividade das vagas disponíveis nessas regiões comerciais", argumentou. A Zona Azul conta com 816 vagas, sendo 52 para idosos e 19 para deficientes; e 48 pontos de distribuição, além de outros 15 não oficiais.
Deficientes e idosos continuam com direito ao estacionamento gratuito em qualquer vaga nas áreas de Zona Azul, desde que os veículos estejam devidamente identificados.
Equívoco
Durante a coletiva, o prefeito citou a repercussão gerada pelo anúncio da mudança no horário da Zona Azul, que iria até às 17h durante a semana. "Foi um equívoco", garantiu. "Reitero que foi uma falha administrativa, e enquanto discutíamos os pontos a serem melhorados, assinei o decreto por engano", confessou. O documento foi revogado no mesmo dia da coletiva.
Gaspar lembrou da reunião com a Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Indaiatuba (Aciai) e os comerciantes. "Estamos agora avaliando as facilidades, porque com as mudanças no trânsito o número de vagas do estacionamento rotativo foi reduzido", considerou.

Novo sistema terá transição de 45 dias

Werner Münchow Batistella, diretor do sistema: talão abolido e mais vagas
A Zona Azul Eletrônica passa a vigorar na cidade na primeira quinzena de junho. Nesse período também serão ampliadas as vias com mais 489 vagas, além de 25 para idosos e 11 para deficientes, tanto na região central quanto no Boulevard do Cecap.
O talão será abolido e haverá 45 dias, a partir da data de
início do novo sistema, para a
transição ao modelo digital, dis-
ponibilizado via aplicativo, pe-
la empresa Digipare. O download é gratuito e pode ser feito na Play Store dos celulares Android e na App Store, dos modelos Iphone. Assim que baixar o app, o usuário deve se cadastrar o CPF e os dados do veículo. "A informação da placa é muito importante, pois será através dela que o controle será feito", ressalta Fábio Batistella, diretor do sistema.
A partir de junho, o esquema da Zona Azul vai funcionar assim: ao estacionar, o motorista acessa o aplicativo, escolhe o tempo que vai ocupar a vaga e paga o tíquete diretamente pelo celular. "Usuários cadastrados no sistema Digipare (pelo CPF) também podem emitir o tíquete enviando SMS ou fazendo uma ligação 0800 e ouvir as instruções de uso até o final da ligação", explicou Batistella. O cartão será válido por 45 dias; depois, deverá ser feita troca por créditos (que não expiram).
A compra dos créditos poderá ser via cartão de crédito/débito e boleto bancário. "Seja qual for o meio de pagamento escolhido, será preciso informar corretamente a placa do veículo que vai ocupar a vaga da Zona Azul no ato da emissão do tíquete. O usuário pode cadastrar quantas placas desejar; caso os números sejam idênticos (o que é muito raro), o sistema oferece também opções nesses casos, sem nenhum problema", completou o diretor.
Pessoas que não têm familiaridade com a tecnologia poderão procurar um dos pontos de venda ou falar com o(a) fiscal de rua. Quanto aos dez minutos de carência, o diretor da Tecpark garantiu que serão mantidos. "Esse é o tempo de tolerância para a pessoa adquirir o tíquete, caso não tenha o aplicativo", acrescentou Nascimento.
Os valores também permanecem, ou seja, R$ 0,90 para 30 minutos, e R$ 1,60 para uma hora. Cada motorista terá um período máximo de duas horas para permanecer na vaga. "O tempo é monitorado e o aplicativo avisa quando o prazo está vencendo. A tarifa pós-utilização é equivalente ao custo de duas horas."
O novo formato permite que os créditos da Zona Azul sejam utilizados em qualquer cidade. "Os créditos são dos usuários. A Digipare é homo-
logada junto ao Banco Central, portanto, o dinheiro não fica nem com a Tecpark nem com o poder público", enfatizou Batistella. "O aplicativo da Digipare é utilizado em mais de 40 municípios, inclu-
indo São Paulo, e conta com mais de 300 mil usuários, com total segurança."

Veja Também:

Comentar


Mais lidas
Filmes em cartaz
  • RAMPAGE: DESTRUIÇÃO TOTAL
  • UM LUGAR SILENCIOSO
  • COM AMOR, SIMON
  • ASSISTA MULHERES - MUDBOUND: LÁGRIMAS SOBRE O MISSISSIPI
  • JOGADOR Nº1
  • NADA A PERDER
  • CÍRCULO DE FOGO: A REVOLTA
  • OS FAROFEIROS
  • PANTERA NEGRA