Login |

HomeNotíciasCidade › Médicos deixam de atender 24 planos de saúde em Indaiatuba
Médicos deixam de atender 24 planos de saúde em Indaiatuba
Decisão ocorreu após assembleia realizada terça-feira, dia 16, na sede da APM
Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Publicado em 19/04/2013 às 18h30Da Redação - redacao@tribunadeindaia.com.br
Os médicos de Indaiatuba decidiram suspender o atendimento a 24 planos de saúde em uma assembleia realizada na terça-feira, dia 16, na sede da Associação Paulista de Medicina (APM) - regional de Indaiatuba. Os atendimentos de urgência e emergência estão garantidos.

Sem acordo quanto ao valor pago pelas consultas por 24 convênios, os médicos de Indaiatuba decidiram suspender o atendimento. Segundo a assessoria de imprensa a APM, atualmente os profissionais recebem de R$ 55 a R$ 60 por consulta. O valor negociado na cidade é de R$ 70, enquanto em todo o Estado de São Paulo os médicos exigem R$ 90 por consulta.

Mesmo o valor sendo abaixo do solicitado em nível estadual, os planos de saúde não entraram em acordo. Deixaram de ser atendidos os seguintes convênios: E&E, Seprev, AGF, Agemed, Care Plus, Coopus, Hospital Santa Tereza, Hospital Samaritano, Mediservice, Porto Seguro, Saúde Bradesco, Sul América, Universal, Abrasf, Assimédica, Beneficência Portuguesa, Blue Life, Coopi, Cooperbrás, Golden Cross, Máster Saúde, Medicamp, Notre Dame e Skill Omint.

De acordo com a APM, a suspensão seguirá até 7 de maio, quando uma nova assembleia será realizada. Porém, o órgão garante que os atendimentos de urgência e emergência, nos hospitais, não serão prejudicados.

Paralisação total
Na quinta-feira, dia 25, os médicos de Indaiatuba não atenderão consultas por nenhum convênio médico. Na data, será realizada uma passeata pelos profissionais, como forma de adesão ao Dia Nacional de Alerta aos Planos de Saúde.
Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Comentários (0)